• Você DEVE assistir Dragon Prince!

    The Dragon Prince Is Getting An Art Book (Exclusive) | Den of Geek


    Eu já lhe disse que você deve assistir Dragon Prince?! Lançada oficialmente no ano de 2018 na Netflix, a história foi escrita por um dos nossos queridos escritores, Aaron Ehasz (para quem não conhece, um dos principais cabeças por de trás da Avatar: The Last Airbender) e Justin Ricmond (diretor do videogame Uncharted 3: Drake's Deception). A nossa Netflix acaba por trazer uma história magnifica sobre dois príncipes humanos estabelecendo um vínculo improvável com uma assassina elfa enviada para matá-los, embarcando em uma jornada épica para trazer paz às suas terras em guerra. A série possui atualmente 3 temporadas (20/05/2020) caminhando para a sua quarta.


    O Príncipe do Dragão pode não possuir o melhor dos visuais em TV Show 3D, na verdade, a primeira coisa que me chamou bastante atenção a respeito deste Desenho Animado foi a fluidez ( ou falta de ) na sua animação 3D, sendo que no inicio foi um tanto incomodo, mas após alguns episódios todo esse incomodo desapareceu e  a medida da temporadas, a fluidez  e o 3D em si vai melhorando.


    Muitos podem ter até achado a premissa um tanto cliché ou nada de especial, eu entendo, mas o que falta em originalidade é mais do que compensado no charme e como a trama vai se tornando incrivelmente bem contada, te fazendo encantar não só pelos personagens quanto pelo universo em si que parece melhorar a cada episódio.  Dividido entre dois conjuntos separados de personagens, O Príncipe do Dragão equilibra um mundo repleto de medo e raiva com palhaçada, humor pateta e surpreendentemente bom efeito.

     

    Então, vamos falar um pouco sobre ela?


    O PRÓLOGO ( SEM SPOILERS ) 


    A série começa com um breve prólogo, contando o background daquele mundo, pintando uma imagem fantástica de dragões, magia e luta de espadas, todos em uma amarga guerra entre a raça dos elfos e humanos por um de dragão destruído. A história começa com os Reinos oscilando à beira de toda a guerra, quando somos apresentados a três personagens principais que formam a espinha dorsal dessa animação familiar. Callum (Jack De Sena) e seu animal de estimação Glowtoad, seu irmão e herdeiro do trono, príncipe Ezran (Sasha Rojen) e Rayla (Paula Burrows), a nossa elfa badass enviada para matar os dois.


    The Dragon Prince - Page 2 - Off Topic - Stray Fawn Community

    A trama se aproxima bastante do arquétipo da Hero's Quest, com a irmandade disfuncional formando um vínculo improvável enquanto eles navegam no mundo mais do que perigoso e para entregar um item de grande importância. Vale a pena notar também que, embora a série seja divertida e tenha ação e emoção suficientes para mantê-lo colado até o episódio final.


    The Dragon Prince parece uma lufada de ar fresco nesse gênero. A composição geral e o layout das cenas também são bons, com um olhar aguçado para cores tipificadas por cada episódio utilizando uma cor dominante diferente.


    O ESTILO


    A série em si é voltada fortemente para crianças mais velhas de 7 anos, um publico family friendly, mas não se engane, a qualidade da sua história não subestima a inteligência e a compreensão para um publico mais adulto, sendo acessível o suficiente para qualquer pessoa que tenha interesse. Mergulhamos em uma ventura épica de fantasia medieval que servirá par a muitos uma porta de entrada para clássicos da literatura ou cinema (como Hobbit ou Cronicas de Nárnia).


    Tdp The Dragon Prince GIF - Tdp TheDragonPrince Netflix - Discover ...

    Existem inúmeras brigas espalhadas por toda neste desenho de 9 episódios, complementadas por algumas animações coreografadas de tirar o folego. O uso da música também é igualmente impressionante, alternando entre otimistas, sinos travessos e alguns até sinistros, acordes menores regularmente, à medida que a história oscila entre seus elementos mais leves e mais sérios. De dragões e assassinos a vermes e lobos do pântano, há toda uma mistura de bestas e criaturas fantásticas que impedem que a série se torne obsoleta enquanto os três personagens empreendem sua jornada.

     

    A dublagem neste desenho é outra coisa a se destacar, eu pelo menos ouvi a sua "dublagem original," ou seja, em Inglês. A maioria dos personagens entregam falas perfeitas, sem algum tipo de erro notável ou que deixe desconfortável. No entanto, algo que me chamou atenção foi o sotaque questionável de Rayla e alguns discursos levemente arrastados criando uma distração constante e a única marca negra em uma oferta animada decente.


    A COISA MAIS BONITA: A REPRESENTATIVIDADE 


    Para terminar com chave de ouro, uma das coisas com que The Dragon Prince pisa é na representatividade do seu mundo. Não estou falando nisso na questão de raças, mas também Orientação Sexual e acessibilidade. Esta obra dá uma aula a como trazer as coisas de maneira sutil e nada parecer forçado, mostrando relacionamentos homoafetivos saudáveis mostrando o quanto a representatividade tanto racial quanto na orientação sexual são importantes na fantasia.


    Light brings darkness what sweet irony - The Dragon Prince | 2x06 ...

    Não é a primeira vez que Aaron Ehasz nos mostra personagens desse nível, em Avatar por exemplo, possuímos uma protagonista cega que a melhor dobradora de Terra da sua geração, mas aqui, em Dragon Prince, ele, junto de Justin Ricmon fizeram um trabalho ainda melhor.  Possuímos desde uma personagem muda (onde nas vezes que ela aparece sem quer traduzem, já que, o problema é SEU que não aprendeu a linguagem de sinais), até um rei negro e um casal Biracial lésbico sendo fucking rainhas.

    Sendo assim...


    O Dragon Prince é uma série bem construída, com ótimos personagens em seu coração. A configuração parece familiar para quem já viu Avatar, mas nunca pareceu derivado. Como  Avatar, esta série não parece um programa infantil; sim, é um desenho animado, mas há o suficiente aqui para atrair públicos de todas as idades. Estou realmente ansioso para continuar a acompanhar as aventuras de Ezran, Callum e Rayla. O que você está esperando? Você deve assistir com certeza!


    The Dragon Prince Season 3 Review – But Why Tho? A Geek Community

  • Chapter VIII




    Mais um dia de aula. 
    Biologia. 

    O seu corpo cansado escorreu sobre a mesa, empurrando boa parte dos seus livros para o canto. Era sexta-feira e o Kingstone não conseguia esperar até o fim do dia. Na sua cabeça, o fim de semana seria incrível e mais doido que nunca. Então seu tempo não deveria ser perdido. Sexta-feira eram dias para as aulas serem completamente ignoradas, afinal, ele havia dado tudo de si nos dias anteriores, agora era hora de relaxar.

  • Neo Conexões

    Semana especial - Neo Conexões

    Olá, pessoal! A pandemia continua forte no mundo a fora e sentimos que pouco a pouco estamos nos separando socialmente de nossos colegas e amigos.
  • O Estilo De Marianne


    " Olá Fadas ! Tudo bom? Algumas pessoas acabaram por ficar bem interessadas pelos meus looks/outfits e qual seria propriamente o meu "estilo" preferido e adivinhem? Eu adorooooooo falar sobre isso, sempre fui uma grande fã de moda e gosto de usar roupas bem leves e sou simplesmente amooo um estilo Retro, bem... Espero que gostem e que se inspirem um pouquinho! "

  • Pokémon ⚔🛡 Adventures


    Pokémon ⚔🛡 Adventures 

    Esta temporada de Sword And Shield Adventures conta com os nossos dois protagonistas, Sōdo Tsurugi Shirudomiria Tate e as suas fabulosas e empolgantes aventuras na região de Galar.  Ambos são assistentes da  professora Magnolia , ajudando-a sempre que possível a pesquisar o fenômeno Dynamax. 

    Sōdo nasceu em uma família de ferreiros e foi ensinado a consertar armas. Ele usou esse conhecimento para se tornar um Tool Meister, onde ele repara vários objetos Pokémon que são usados no campo de batalha, como por exemplo, a  "espada" do seu Ransun, o Sirfetch'd. 

    Já Shirudomiria  é muito ativa e tende a gritar o tempo todo, mesmo quando a pessoa com quem ela está falando está ao lado dela e que procura seguir carreira no seu Gym Challenge como treinadora pokémon. 

    Todos os capítulos foram traduzidos e retirados da pagina Pokémon Generations

  • Cadê Neo Galar?!


    Ué, mas cadê Neo Galar?!



    Oiee! Aqui é o Welfie, seguro em casa (espero que vocês também estejam se possível) e gostaria de pelo menos trazer alguns esclarecimentos para aqueles que frequentam o blog e ou acompanham a história de Neo Galar. Não procuro me prolongar duramente muito tempo, até porque, eu acho uma grande falta de respeito desaparecer por tanto tempo sem pelo menos vos trazer uma justificava do o "meu hiato". 

    Como leitores eu entendo com muitos podem achar que é  um grande descaso e falta de compromisso com uma história que prometi escrever este ano, existiam metas para 2020, metas grandes e eu planeava completar por parte delas, mas infelizmente, devido aos grandes problemas que tem acorrido em 2020 ( não preciso nem citar, não é mesmo ), o tempo acabou por ficar muito corrido e acabei por me focar apenas na Escola por determinado tempo.

    Abril nem tivemos capítulo! E eu estava escrevendo pelo menos um especial para Abril, para não  ficarmos um mês em branco, infelizmente, não ocorreu. Após ter terminado uma grande parte dos meus trabalhos escolares, enfrentei outro problema. A falta de inspiração, problemas na minha narrativa e problemas na ansiedade.

    Fiquei semanas me debatendo, procurando por inspiração, lendo diferentes livros e vendo series/desenhos e animes, mas nada me veio a cabeça por um booom tempoo e também acabei por procurar outras maneiras de melhorar a minha narrativa, como escritor, mas adivinhem? Nada. Depois de um bom tempo parado, consegui pelo menos pensar algo para a conclusão da primeira temporada, as minhas ideias inicias eram COMPLETAMENTE diferentes das atuais, então passei uns bons dias verificando se cada "plot" (enredo) dos personagens etc combinavam e não haveria "plot holes"(buracos na trama) durante a história. 

    Devo agradecer bastante a Aliança Aventuras, a Neo Aliança, mas principalmente ao Sir Naponielli ( Autor de Neo Kalos ) e a Anangeom ( Autor de Neo Sinnoh ) por terem me ajudado a focar um pouco mais e também me dando suas opiniões e ideias para a melhoria da história.

    E quando a minha ansiedade? Na verdade são poucos aqueles que sabem desse meu ''probleminha", mas podem ficar tranquilos já que estou recebendo o devido suporte da minha família e amigos, então... não precisam de preocupar muito ~rs 

    Então... Quando eu vou voltar? Sinceramente? Nem eu sei, mas farei os possíveis para vos manter atualizados, com alguns especiais e alguns extras para manter o blog menos parado, sabem? Vou tentar o meu máximo para vos entregar pelo menos alguma coisa e não manter o blog parado e atraindo moscas ( eu odeio isso ), peço do fundo do meu coração que tenham paciência e quando eu for '' sumir '' novamente no blog, eu irei avisa-los seja com um post igual ou na sidebar.

    Peço novamente imensas desculpas pelo sumiço, espero que tenham tudo de melhor sempre e que tenham uma excelente saudade, vocês e os vossos familiares e vejo-vos logo logo! Bye, Bye!

  • NEO GALAR CANCELADA (01/04)



    Pois muito bem... Foi extramemente diivertido estar aqui neste blog fazendo diversas postagens para vocês, mas esse dia acabou... E irei explicar para vocês o porquê do motivo.


    Sim, eu nasci no dia 1º de abril • Brechando
  • As Torres, Gigantamaxes e Roupinhas!


    Em mais um dia de quarentena, no dia 26 de Março, fomos surpreendidos em uma Nintendo Direct com mais informações a respeito das duas DLCs que serão lançadas futuramente para Pokémon Sword and Shield ainda este ano. No pequeno trailer de aproximadamente 3 minutos, foram nos dadas informações e mais detalhes sobre a primeira DLC, The Isle Of Armor, que irá ser lançada oficialmente no fim de Junho deste ano.



    A primeira parte do Expansion Pass, revelará que os seus Staters poderão se transformar em Gigantamax! Rillaboom, Cinderace e Inteleon, as evoluções finais dos seus primeiros parceiros pokémon poderão finalmente atingir outro patamar de força com estas novas formas que com certeza irão explodir os campos de energia e poder.

    Desta vez, foram revelados detalhes sobre os Movimentos G-Max que apenas o Rillaboom, o Cinderace e o Inteleon podem utilizar. Estes Movimentos G-Max são incrivelmente poderosos, causando danos ainda mais graves do que os G-Maxs normais!


    Gigantamax Rillaboom

    Gigtantamax Rillaboom

    Os ataques Grass-type utilizados pelo Rillaboom Gigantamax irão transformar-se em G-Max Drum Solo.

    O G-Max Drum Solo é um movimento extremamente poderoso, através do qual o Rillaboom cria uma batida com os paus que tem nas mãos e controla elegantemente as raízes das árvores através da sua extraordinária técnica de percussão. Em seguida, faz com que estas raízes irrompam por debaixo do seu adversário, provocando danos massivos! Este movimento é mais poderoso do que os restantes Movimentos Max e também é capaz de ignorar quaisquer efeitos provocados pela Ability do seu adversário.

    Gigantamax Cinderace

    Gigtantamax Cinderace

    Os ataques Fire-type utilizados pelo Cinderace Gigantamax irão transformar-se em G-Max Fireball.

    O G-Max Fireball é um movimento extremamente poderoso, que permite ao Cinderace utilizar as suas fortes pernas para disparar uma gigantesca bola de fogo em direção ao seu adversário, causando uma explosão quando a bola o atinge! Este movimento é mais poderoso do que os restantes Movimentos Max e também é capaz de ignorar quaisquer efeitos provocados pela Ability do seu adversário.


    Gigantamax Inteleon 


    Gigtantamax Inteleon

    Os ataques Water-type utilizados pelo Inteleon Gigantamax irão transformar-se em G-Max Hydrosnipe.

    O G-Max Hydrosnipe é um movimento ultrapoderoso. O Inteleon fará pontaria a partir da sua cauda erguida, reunindo água na ponta dos dedos antes de dispará-la em jato contra o seu adversário. A água é lançada com tanta força e velocidade que causa uma enorme explosão ao atingir o adversário, causando mais danos do que os restantes Movimentos Max! Este movimento também é capaz de ignorar quaisquer efeitos causados pela Ability do seu adversário.

    Bónus de compra antecipadas! 

    Screenshot Left

    Se adquirir o Expansion Pass antecipadamente, poderá receber o boné e as calças do Leon como bónus!

    Poderá receber estes itens ao abrir o menu X do seu jogo, selecionando a opção "Mystery Gift" e, em seguida, "Get a Mystery Gift" e "Get via Internet" em qualquer altura, a partir da data de lançamento de The Isle of Armor (que corresponde à 1.ª Parte dos conteúdos adicionais desbloqueados pelo seu Expansion Pass) até às 14:59 GMT, de segunda-feira, 31 de agosto.

    Como usar os itens?!

    1. Abra o jogo Pokémon Sword o uPokémon Shield.
    2. Selecione Mystery Gift no menu X.
    3. Selecione Get a Mystery Gift.
    4. Selecione Obter via Internet.
    Lembre-se de que você pode trocar de roupa no provador de qualquer boutique.
  • Chapter VI



    Marianne não se lembrava de correr assim há muito tempo. Os passos apressados seus e dos seus colegas soava como turbilhão, uma onda gigantesca que se aproximava pronta para engolir qualquer um a sua frente. Viu a luz do pátio no final do corredor, brilhando cada vez mais que se aproximava, assim como os sons de gritos ampliavam a cada segundo, como gritos de guerra, rugidos em euforia como quem grita em um coliseu, por sangue. 

    Quando finalmente alcançou “o fim do túnel”, viu toda aquela luz ofuscar os seus olhos por breves segundos, quase a cegara. Sentiu o poder do sol, sendo obrigada a levar as mãos aos olhos e, ao abrí-los novamente, viu uma enorme multidão de pessoas, berrando e festejando como loucos. Teve a certeza de que, por alguns segundos, conferiu alunos apostando entre si algumas dezenas de moedas, mas não teve tempo para verificar com detalhe.

    — Venham! — Gritou a garota.

    Puxou Emily pela mão, adentrando em meio a multidão como quem mergulha para o fundo do mar. Passou pelos alunos, dando encontrões em vários corpos para no final atingir o centro de batalha, no balcão VIP, primeira fila. Viu o corpo de Warren se jogar em direção ao loiro oxigenado, desferindo um soco fortíssimo sobre o nariz de Bede. Todos ouviram um grande estalar, a loira fechou os olhos com o som, a cartilagem do nariz de Bede com certeza havia quebrado. Quando voltou a abrir os olhos, parecia que havia perdido quase meia hora de luta.

    Desta vez, Bede segurava forte o pescoço do outro, o estrangulando. Era possível ouvir alguns gritos assustados de garotas com aquela ação. Não durou muito, Warren conseguiu se afastar e chutou o estômago do rapaz, os dois se atiraram e começaram a brigar no chão, entre enforcamentos, cotoveladas e mordidas. Marianne olhou para trás, vendo Hop e Lewis chegando logo em seguida:.

    — Eles estão mesmo lutando?! — Lewis gritava, tentando ser ouvido.
    — Não, Lewis! Não! Tão se abraçando! — Emily rebateu.

    Marianne falou por cima.
    — Alguém tem de fazer alguma coisa ou os dois vão acabar se matando! 

    — Vai você! — Hop tentou pular por cima do amigo, para ter uma melhor visão da luta.

    Quando voltaram a se focar na batalha, viram o loiro gatuno sendo enforcado por um mata-leão. Warren estava fazendo de tudo para tentar acerta-lo com os seus cotovelos e Marianne até via parte do rosto deste ficar branco como o leite, quase desmaiando.

    — Oh meu Arceus… Não me digam que… — Lewis tentou terminar a frase, mas acabou por ser empurrado por alguém para o centro da luta.

    Seus olhos arregalaram, seu coração quase saiu de sua boca de tão assustado ele ficara. Olhou para os colegas, cobertos em suor e até sangue, o rapaz soltou um grito agudo, levantando uma das suas pernas. 

    — Oh meu Arceus, oh meu arceus, oh meu arceus… — repetia intensamente. — Warren! Bede! Parem! 

    Como se aquilo fosse funcionar. Os dois o ignoravam por completo. 

    Ao tentar separa-los, todos foram surpreendidos por uma luz que explodiu em seus rostos, fazendo os alunos levarem as mãos aos olhos para protegê-los. Depararam-se com uma pequena criatura negra, sob as quatro patas, graciosa e canina. Seu rosto contava com um par de olhos azuis safiras e suas pálpebras eram vermelhas carmim, possuía um focinho comprido e pontiagudo e uma boca que um enorme par de presas pontiagudas. No topo da cabeça, havia um enorme par de orelhas com uma espécie de topete com detalhes em vermelho. Em volta do pescoço, uma pelagem fofinha com um tom mais preto servia como uma espécie de cachecol. O corpo magro e pequeno terminava e uma cauda peluda e, nas quatro patas, detalhes em vermelho lembravam botas. 

    Resultado de imagem para Zorua

    — Mas o que é isso?! — Lewis recuou, mas o foco não era ele.

    A pequena raposa virou-se para os dois homens e partiu para cima de Benjamin, alongando as suas garras afiadíssimas, arranhando em cheio o braço do menino que largou Warren na hora. Bede gritou de dor. Uma ferida se formou, três riscos que rasgavam parte de sua pele, sangue escorreu pelo braço.

    Warren se levantou furioso e, desajeitadamente, voltou a chutar o colega.

    — Pela vida da minha mãe, a próxima vez que você me tocar, eu acabo com a sua raça! — Apontou o dedo para o loiro.

    — Precisou chamar a bichinha já que não se garante no soco?!  — Bede gritou cheio de raiva, seu rosto estava vermelho como um pimentão e os olhos semicerrados de ódio, alguns dos seus amigos se aproximaram para ajuda-lo a se levantar. — Seu Punk de merda! Na próxima vez você não terá seu pokémon para te ajudar! — Os amigos o puxavam tirando-o do círculo enquanto ele continuava gritando aos altos berros. — Ninguém mexe comigo, Warren! NINGUÉM!!

    O aglomerado foi se desfazendo aos poucos. Todos estavam em choque, mas o mal já havia passado, Bede não estava mais ali. Marianne viu alguém chegando de fundo, correndo completamente ofegante, uma mulher, alta e ruiva:

    Resultado de imagem para sonia pokemon

    — MAS O QUE SE PASSOU AQUI?! — Era Sonia, neta da Professora Magnolia, mas a multidão já havia se dissipado como fumaça em segundos, seguindo suas vidas, só sobrando o pequeno grupo de amigos.  A ruiva sentou-se no chão, extremamente cansada. — Eu saio por 5 minutinhos e é isso que acontece? Ficam brigando?!

    Lewis procurou ajudar o amigo, enquanto os outros se aproximavam.

    — Você está bem? — Perguntou com um sorriso meigo.
    — Estou sim, obrigado… — o loiro respondeu, limpando o sujo do seu uniforme. — E desculpe pelo incômodo, Sonia. 

    A ruiva deu um breve suspiro.

    — Deixem-me adivinhar. Foi com o Benjamin, certo?

    Todos balançaram a cabeça positivamente. Emily começou a se manifestar: 
    — Mas esse garoto só sabe arrumar encrenca? Parece um demônio!!! — Disse, zangada. — Se eu fosse diretora já teria expulsado esse diabo na primeira oportunidade! Primeiro o Lewis, Hop, Warren! Quem vai ser o próximo?!

    — Sim! — Marianne concordou. — Ele não passa de um bully! A escola devia tomar providencias!

    Sonia soltou um suspiro mais uma vez, levantando-se.

    — Irei fazer o que estiver ao meu alcance…. Mas preciso de saber o que aconteceu antes! Eu não sei quem começou a brigar primeiro, neste caso, tanto o Warren como o Benjamin são culpados!
    — Claro que ele começou! — Warren bradou. — Eu tava de boa, se não fosse ele falando mal de mim e de vocês! — apontou para Lewis, Hop e Emily.  — Sim! Vocês!
    — O QUÊ?! — Emily quase berrou. — Ah se eu encontro esse filho da…
    — Não! — Sonia levou a mão a morena, tentando acalma-la. — Violência só gera violência! Vocês têm 16 anos! Já deveriam saber disso!
    — Mas eu não vou deixar esse idiota falar mal de mim! — Emily refutou. — Ainda mais pelas minhas costas!
    — Foi exatamente o que eu disse na aula! — Hop concordou com a amiga.

    Lewis no meio do grupo parecia o único a querer acalmar as coisas.

    — Gente… não é bem assim, a Sonia tem raz-
    — Ah não, Lewis! — Marianne o cortou logo de cara, tapando sua boca com a mão. — Não vem com essa de pacifista de novo não.

    O garoto tirou a mão da amiga da boca.

     — Não é questão de ser pacifista ou não, Marianne. Olhem só o que está acontecendo, só estamos criando mais e mais ódio e isso tudo só começou quando eu mandei ele ir… — ele parou por pequenos segundos, envergonhado. — Vocês sabem… Mas o que eu quero dizer é que desde que eu lhe respondi mal que ele não pensa outra coisa não ser isso. Não sei bem como explicar.

    Ele parecia perdido demais em suas palavras. Os quatro amigos o olharam, piscando continuamente, mas logo viraram-se para a mulher ao ouví-la falar.

    — Mas ele tem razão, meninos. — a ruiva tentou revelar um sorriso. — Vejam, vocês acham que ele vai parar depois do que aconteceu?

    — Ainda mais depois de ter sido ferido por esse pokémon aí. Vai deixar uma boa marca — Hop apontou com o rosto para a pequena raposa, levando as mãos para trás da cabeça com um pouco de desinteresse.
    — O quê?!
    — Meu Arceus Hop…— Emily deu-lhe como cotovelada.   — Não tem como você ficar calado?!
    — Não a culpem, ok!? — Warren segurou o pokémon com carinho, passando a sua mão sobre a pelugem negra e recebendo uma pequena lambida. — Zorua só fez isso para me proteger!
    — Você tem de saber segurar esse tipo de pokémon! — Sonia agora estar realmente furiosa, avançando em direção de Warren. — Imaginem só se isso der mais errado ainda!
    — Cenourinhaaaaa!!

    Marianne viu Sonia dar um pequeno salto de susto. Quando a loira se virou para conferir a proprietária daquela voz assustou-se também, não estava nada a espera de uma visita daquele calibre naquela escola, os seus olhos se encheram e brilharam intensamente, a medida que sua vontade por abraçar aquela pessoa aumentava cada vez mais.

    — Não acredito… — disse boquiaberta.

    O corpo esbelto e negro como cacau brilhou intensamente com a luz do sol, assim como os seus longos cabelos escuros como grafite que se estendiam até as suas costas, com uma madeixa rebelde em tons azulados tal igual os seus olhos, azuis como o mar limpo de Alola. 

    A negra vestia um casaco preto desportivo por cima do seu uniforme padronizado do tipo água. Era notável pelas linhas laranjas em seu topo e parte da logo de uma gota de água ainda identificável. As calças apertadas jeans pareciam ficar perfeitas nela, junto das botas acastanhadas ao estilo cowboy.  Na visão de Marianne era como se uma deusa tivesse acabado de chegar ao reino dos homens.


    — Nessa! — Disseram todos em uníssono.
    — Yo! — A negra levantou o seu braço, saudando todos com um sorriso elegante — Já em problemas, cenourinha?
    — Naah! — a ruiva revelou um sorriso cansado. —  Está tudo bem… Eu depois te conto tudo.  Aliás! Pode ficar com eles por uns minutos? Eu volto já-já!

    A ruiva voltou a correr se dirigindo ao pátio, não dando opção de resposta para a amiga, que apenas olhou a situação sem jeito algum.

    — Mas eu trouxe almoço! — Ela brandou, mostrando na outra mão uma grande sacola de plástico com caixas, mas a ruiva já havia sumido de vista. — Nevermind…

    A líder de ginásio ficou ali, parada, por uns longos minutos enquanto todos se observavam entre olhares estranhos e desconfiados, com medo de dizer algo errado na frente da grande e maravilhosa Vanessa. As vezes eles tentavam falar algo, mas interrompiam a si próprios com breves tossidas e com palavras cortadas de início de uma frase.  Argh, ela era tão perfeita! Marianne não queria soar patética ao seu lado. A loira procurou então alguma maneira de iniciar uma conversa, olhou para os seus amigos, executando breves trocas de olhares para ‘’ ninguém fala, eu vou primeiro ‘’.

    — Então… Ms. Vanessa. — o seu timbre vinha muito mais baixo que o comum. — Eu sou uma grande fã do seu trabalho, sabe? Principalmente da sua agen-
    — Ei lourinho! — Warren assustou-se, a negra falava para ele. — Você meteu-se em uma grande encrenca em…

    Bem…Ela havia sido ignorada, mas estavam falando era o que importava.

    — É… eu posso dizer que sim. — O outro respondeu levando a mão a cabeça, coçando-a — Não é como se eu não gostasse de uma boa briga. Ser calmo e bonzinho nunca foi parte da minha natureza.

    Nessa deu uma gargalhada

    — Deu pra ver. Eu também não me considerava uma pessoa calma. Brigava toda hora, mesmo quando não estava trabalhando como líder de ginásio e isso acabou por me afastar de muitas pessoas. — Ela virou-se fitando por segundos o céu azulado. — Felizmente Sonia e Leon me ajudaram a sair dessa e a controlar um ‘’bocadinho’’ esse sentimento. Devo muito a eles

    — Nunca pensei que você tivesse problemas.... — Lewis se aproximou da conversa.
    — Sim... — Agora era Marianne. — Você parece sempre tão perfeita.
    — Mas nem tudo é o que parece. — Vanessa Bryers chamou o grupo. Devagar, eles caminharam pelo pátio enquanto falavam, parando no chafariz de Roselia. A negra sentou-se na beirada de mármore junte de Marianne, enquanto alguns como Hop e Warren sentavam-se no chão de pedras cruzadas. — Muitos de nós mostra uma casca que não é realidade, você, como profissional tem de saber separar muito bem as coisas da sua vida pessoal com as da sua vida profissional, caso contrário será uma bagunça completa em sua vida e você tombará em sua própria caminhada. Todos nós temos problemas, vocês, eu, Sonia e até o Leon. É muito complicado…
    As gotículas de água caiam sobre o longo cabelo da líder de ginásio, o deixando levemente úmido. Marianne a olhava sem pestanejar, achava-a tão interessante. Dentre eles, ela era a que parecia estar mais atenta.
    — Devo imaginar… — Emily acrescentou. — É praticamente ter duas vidas… muitos famosos acabam por se afundar drasticamente em sua vida profissional, mostrando algo realmente falso…
    — Por isso que ser um líder de ginásio ou qualquer tipo de influenciador não é nada fácil. — A negra soltou um longo suspiro, mostrando evidentemente cansaço para o resto dos jovens.  — São apenas cobranças e mais cobranças e ninguém realmente pergunta como foi o seu dia ou como você se sente. Todos pensam que você é algum tipo de máquina, que trabalha 24 horas por dia e que deve corresponder ao pedido de todos no exato momento que eles pedem e quando você faz ainda é julgado por outros mil, por acharem que está fazendo isso por dinheiro. Argh! Só de falar já me dá ânsia.  

    Todos ficaram calados apenas ouvindo o som dos pássaros, dos alunos falando ao fundo e da água caindo.

    — É foda…. — Comentou O’Connor.
    — Ou se é…— A garota virou-se para o loiro com um sorriso, dissipando por instantes aquele seu ar cansado. — Aí quando você consegue um intervalo de duas horas pra lanchar com a sua amiga, toma um bolo na cara. Ao menos estou aqui com vocês….  São uma boa companhia.

    Eles apenas responderam com sorriso e abanando as suas cabeças. Nessa havia dito que eles eram uma boa companhia? ‘’ Eu ouvi bem?!’’. A loira se segurou ali mesmo para não explodir em gritos de emoção e felicidade. 

    —  Devo supor que algum de vocês irã participar da liga, certo? — Hopper, Lewis e Warren balançaram a cabeça positivamente.  Diferente deles, Marianne parecia mais seguir um caminho de criadora Pokémon. A única que não se manifestou foi Emily, que permaneceu em silêncio. — Desejo-vos sorte, sim, o que eu falei é realidade e é muito complicado de lidar, mas se vocês conseguirem separar isso e aguentar as críticas, queridos… Vocês vão voar.

    — Eu nem sei direito o que vou seguir. — A morena interrompeu, sua voz parecia estar mais pesada, assim como o modo como agia, mais séria.  — Estou numa escola tão prestigiada, mas sendo sincera estou mais perdida que sei lá o quê. — Lamentou-se. —  Adoro batalhas pokémon, assim como as performances, mas…

    — Bem, gostando de batalhas e performances já sabemos que você não quer ser médica, não é mesmo? — A líder soltou um sorriso, dando um pequeno soco no ombro da morena que respondeu com uma alegria.  — Vá com calma. Você ainda é muito jovem e é normal a maioria das pessoas estarem perdidas nessa idade. Eu mesma estive. Sempre achei todas as profissões legais. No final, escolhi a vida de líder de ginásio e com o tempo, me foquei mais na carreira de modelo, hoje faço as duas coisas. — Deu uma leve pausa, para retirar um pequeno cartão, mostrando tanto a sua licença de líder quanto de modelo do bolso. —  É difícil, afinal, nada no mundo é fácil, mas você também poderia tentar fazer ambas as coisas, tem diversos casos de pessoas que ganharam tanto contests como ligas pokémon. Wallace de Hoenn é a prova disso, um ícone, uma diva total. 

    Wallace era uma figura extremamente famosa, não só em Hoenn e em Galar, com pelo mundo todo. A sua beldade era reconhecida tanto em batalhas como em contests pelo o uso dos pokémon do tipo água de forma elegante e magistral. Graças ao seu surgimento (seu e sua Milotic) muitos treinadores haviam seguido os seus passos e Marianne sabia que Nessa havia sido uma delas. Havia lido em entrevistas que durante as suas primeiras batalhas a negra havia se inspirado fortemente no estilo de batalha do Hoenniano, mas após meses, desenvolveu o seu próprio estilo de batalha e maneira de passos. Hoje, ela também estava e esta sendo seguida por milhões. 

    — Nossa… Eu nunca tinha pensando nisso…  — Amber levou a mão ao queixo, ficando mais refletiva. 

    — Pesquise garota, por mais que esteja perdida, pesquisar é a ferramenta mais forte neste tipo de situação. Isso vai ajudar você a entender cada ramo perfeitamente e no final saber o mais tem haver com a sua área. — A negra olhou para o seu relógio de pulso e pareceu ficar assutada com a hora. Notavelmente apressada ela se levantou, retirando em seguida o pó em sua calça. — Bem… acho que tenho de ir, vou procurar a Sónia pela escola que hoje tenho um dia longo pera frente. Foi um prazer vos conhecer a todos, Lourinho e…
    — Emily. — A morena respondeu com um sorriso. 
    — Marianne.
    — Kevin Lewis.
    — Hopp-
    — Espera… Hop? Irmão do Leon?! — Como se tivesse tido um surto, a líder do tipo água aproximou drasticamente do Kingstone que demonstrou certo constrangimento.  — Não acredito… você está tão grandeeee!! Nem sequer te reconheci, meu garoto!! Oh meu Arceus, me desculpa!! Como está o seu irm- Eu realmente tenho de ir agora. Desculpeeem!

    A garota pegou em si e preparou-se para ir embora. Deu alguns passos em direção a saída do pátio, mas novamente parece se lembrar de algo, dando um pequeno salto. 

    — Ah, antes de ir… Vocês gostariam de receber convites para a abertura do Desafio Dos Ginásios? — Ela sacou rapidamente alguns bilhetes do bolso do seu casaco, bilhetes esses que brilharam nos olhos de todos. —  Seria interessante ter-vos por lá!  

    — Abertura do Desafio dos Ginásios?! — Warren questionou.

    O resto pareceu quase saltar para cima da líder, gritando todos ao mesmo tempo.

    — QUERO!!!

    HOPPER
    O dia havia começado de forma bem agitada. Aulas, cancelamentos, brigas e ainda convites de graça e uma bela conversa com Nessa. Havia como melhorar? Claro que havia. Estávamos falando de Edward Hopper e com ele no comando, tudo que estava bom poderia melhorar, assim como tudo que estava ruim podia piorar. Após as aulas da tarde e de um longo jantar no salão principal, passou pela cabeça do rapaz algo mirabolante: invadir o quarto das garotas e juntos jogarem alguns jogos. Apesar de parecer totalmente errado, o negro não queria desistir e aproveitar uma hipótese daquelas. Poderiam ser apanhados? Poderiam, mas desde que Lewis fosse em cuidadoso nada iria correr mal. 

    Bem. Eles haviam conseguido.

    — Vamos jogar? Verdade ou Consequência? — Sugeriu Hop.

    O quarto era praticamente identico ao dos rapazes, com apenas alguns tons pasteis mais claros e com a posição das camas levemente mudada. Aquilo era familiar. Inclusive, os garotos haviam conhecido a nova colega de quarto das meninas, seu nome? Lucy. Uma linda e magra jovem vinda de Motostoke, sua pele era bronzeada como creme, maçãs do rosto altas e uns olhos castanhos com cílios cheios e cabelos lisos e exuberantes que se estendiam em uma longa trança até as suas costas. Rapidamente, com a citação do rapaz  foi possível observar os olhos de todos brilharem como pérolas preciosas. Todos. Todos menos Kevin, o único que pareceu ter um pouco de sensatez no meio do grupo. O menino levantou-se do chão, prontificando-se. Abanou a cabeça negativamente e de forma exagerada.


    — Nunca! — bravou. — Não me metam nessa. 
    — É só não jogar, ué. — respondeu Marianne como se fosse a coisa mais obvia do mundo. A garota revirou os olhos. — Ninguém está te obrigando. 
    — Todo, mas todo o mundo sabe para quê que esse jogo serve. — Lewis voltou a falar, voltando a sentar-se no chão. — É só para fazer perguntas ousadas.
    — Putaria, você quis dizer. — Hop corrigiu.
    — HOP! — gritou o outro.
    — E tô errado?! — perguntou em um tom ingénuo. 

    No final, todos acabaram por aceitar, e depois de diversos pedidos por parte de Hop, Lewis entrou para a brincadeira. Foi simples, eles conheciam as regras do jogo de cor e salteado. Número de jogadores? Poderia variar, mas no mínimo 4 jogadores seriam necessários para uma boa diversão.

    Eram 6. 
    Mais do que era preciso.
     O Tempo? 

    Até alguém realmente cair de álcool ou acabar em discussão, dependia. A única coisa que precisavam era uma garrafa vazia, acabaram por pegar uma das garrafas de vinho escondidas de Warren. Servia perfeitamente. 

    Warren coloca a garrafa no centro, todos estão em um círculo fechado. ‘’ Girem a garrafa que hoje é o meu dia’’. O objeto de vidro, gira e gira, sem parar, em uma velocidade que parecia aumentar a cada piscada, quando misteriosamente o objeto para diante de Marianne Grace Di Fleur e Warren O’Connor.  A ponta é para quem pergunta e a parte detrás para quem responde, a menina pergunta, o rapaz responde. 

    — Verdade ou Consequência? — ela pergunta, com um olhar maroto. O loiro responde verdade. — Hmmm… — a menina leva as mãos ao queixo, pensativa. — Warren… qual você acha que é sua melhor característica? E qual é o pior?

    Uma boa pergunta, Hop diria. Começar lentamente para depois as perguntas se tornarem cada vez mais intensas. Todos pareceram virar os olhos ao loiro, que olhava para o teto do quarto como quem nunca o vira. Voltou a fitar Fleur, com um sorriso.

    — Bem, eu nunca tinha tira reparado nisso, mas talvez seja o sorriso?
    — Verdade.  Realmente, é bem bonito mesmo. Que- quer dizer, o seu sorriso, claro. — A garota perdeu um pouco do jeito ao fitar muito tempo o jovem as palavras pareceram se enrolar e após uns segundos a garota conseguiu finalmente falar algo. — E a pior?
    — Eu também diria o sorriso. — Todos o olharam com tom de dúvida.
    — Porquê? — Era Emily agora que falava.
    — Porque as pessoas as vezes me tomam por algo que simplesmente não sou. Seja de ladrão, maconheiro, falso ou sei lá. — Hop nada falou, Warren estava certo. Inclusive, ele havia o julgado mal quando o se conheceram pela primeira vez. — Não é como se estivessem totalmente errados em fazer isso… — O loiro voltou a revelar um sorriso gatuno para o grupo. — Não os julgo, é a natureza humana.

    Silêncio.

    — Girem! — falou Lucy quebrando o gelo. A garota sai da sua posição para rodopiar novamente a garrafa, porém Warren a impede, novamente com aquele sorriso. Os dois fazem uma rápida troca de olhares. Era ele quem deveria girar, afinal, a pergunta havia sido feita a ele. A garota voltou a se sentar, um pouco corada. Hop se sentiu uma vela. A garrafa gira no chão e a próxima dupla é formada: Emily pergunta e Hop responde. O negro viu os olhos de sua amiga pegando fogo, com um sorriso maligno em seu semblante. 

    — Muito bem, Mr. Edward. Verdade ou Consequência? 

    Ele não iria escolher verdade.

     — Verdade.

    Escolheu verdade.

    — A não! — Marianne se levantou do círculo. —  Se for para escolher só verdade, não vai ter graça nenhuma!
    — É! — Lucy concordou
    — Tá, tá, tá! Vai consequência, vai consequência! Só por favooor, não exagera.
    — Aí meu amigo… — Emily alargou ainda mais o seu sorriso pervertido. —. Isso não é uma escolha sua… 
    — Porque eu sinto que isso vai dar uma treta maligna? — Lewis sussurrou ao ouvido de Warren, ainda que desse perfeitamente para ouvir entre o círculo. Warren apenas riu. 
    — Pois bem, aqui vamos nós… — juntando as suas mãos, batendo os dedos uns nos outros como um vilão preparando o seu plano. —  Primeiro, você tem que ficar de cueca até o fim do jogo, Segundo, beijar Nadega do Waa—
    — Espera, espera, espera.  — O negro levantou-se em discordância, os seus olhos estavam arregalados de tão indignado que estava. — Você está me dizendo que essas duas opções são as mais FÁCEIS!?
    — Sim ué. — Emily manteve a sua postura.
    — Não me diga que vai arregar, Edward — Warren se aproximou do amigo, com um sorriso. O garoto sentiu um breve frio na espinha. — Fique sabendo que eu lavo muito bem o meu rab-
    — MANDA VIR A TERCEIRA OPÇÃO!
    — Terceiro, ficar no armário com a Lucy por 5 minutos. — Terminou, com um sorriso.
    — Só isso?! — Ele perguntou. A morena balançou a cabeça positivamente, como um mestre para o seu aluno. O rapaz virou rapidamente para a colega, preparando-se para segurar em sua mão. — Lucy pode vir comigo?
    — Não. — Respondeu, séria. Não conseguiu segurar o riso por muito tempo, caindo na gargalhada junto do resto do grupo. — Ok, ok. Vamos lá.

    Os dois caminharam muito lentamente, Hop esta visivelmente envergonhado, as suas bochechas ficavam notavelmente um pouco mais avermelhadas em meio ao seu tom de pele negro como caramelo. Lucy era um pouco mais alta que ele, e o puxava pelo braço trazendo uma cena mais do que cômica para o resto que gargalhava sem parar do Kingstone. Adentraram então no armário e por ali ficaram. No meio da escuridão. Vez ou outra o rapaz conseguia ouvir os cochichos dos seus amigos e possuía uma vontade enorme em sair dali para buscar satisfações. O armário até que era bem grande, existiam poucas roupas ali, o que dava a possibilidade para os dois estarem bem a vontade, podendo-se sentar aconchegadamente e foi assim que fizeram. 

    ‘’ O que eu vou falar? ‘’ 

    Toda aquela sua energia havia sumido com um sopro assim que entraram naquele pequeno cubículo, ele parecia ter medo de errar. Mas errar no quê? Logo uma luz surgiu entre os dois, uma luz azul fraquinha, mas o suficiente para iluminá-los, possibilitando a ambos se verem.

    — Porque está suando? — Ela perguntou. 

    ‘’ Estou suando? Claro que estou. ‘’ 

    — Quê? Eu não estou suando.
    — Está sim.
    — É… talvez eu esteja um pouco. — Ele respondeu, abanando ligeiramente a camisa do seu uniforme. — O calor, sabe? É calor… Aquecimento Global…
    — Hop... É outono, está praticamente 3º graus lá fora. — a garota deixou escapar um pequeno risinho. —  Vai me dizer que nunca esteve a sós com uma garota? 
    — Quem eu?

    A garota riu

    — Claro que já. Afinal, você é Edward Hopper, o irmão do campeão.
    — Já, mas… sei lá.  — replicou, esticando um pouco os seus pés, ‘’invadindo’’ o espaço da amiga. — Você sabe…. É sempre uma merda. Quero dizer-, são sempre a mesma coisa.
    — É… Eu entendi… — os dois pararam de falar por uns segundos. — Mas não é como se a gente fosse casar agora…

    O alarme tocou então. O tempo havia passado até que… rápido? Lucy parecia ser alguém bem legal no pouco de conversa que os dois haviam dito. Talvez, Verdade ou Consequência não havia não seria apenas para ousadias, como o rapaz pensara. O jogo poderia também aproximar muito mais as pessoas. Os dois saíram do armário sem mesmo ter terminado a conversa, entre os risos descontrolados grupo que os olhavam como se eles tivessem feito algo de errado lá dentro. Edward levou a mão a garrafa. A noite seria longa e bem divertida… A preocupação de todos havia sumido e toda aquela energia e vibração dentro do quarto era ótima, o menino sentia-se em casa e poderia até dizer… com uma segunda família. 

    Ele girou então a garrafa. 

    A ponta bateu precisamente no seu grande amigo, Kevin Lewis. Um sorriso maldoso surgiu no rosto do negro ao perceber que estava na hora de ver os limites do seu companheiro. ‘’ Oh…a noite é só uma criança… ‘’…

    — Então Lewis… — Ele pegou a garrafa, girando o objeto entre os seus dedos, enquanto o olhava com um longo sorriso no semblante.

     — Verdade ou… Consequência?

    E então os verdadeiros jogos estavam para começar… 



    Próximo Capítulo



    A cópia, venda ou redistribuição desse material é totalmente proibida. Pokémon e todos os respetivos nomes aqui contidos pertencem à GAME FREAK, THE POKÉMON COMPANY, NINTENDO.

    Ao escrever esta história/fanfic o autor, Welfie (William), não está recebendo absolutamente nada! Esta é um produção sem absolutamente nenhum fim lucrativo. Neo Pokémon Galar é uma fanfic que apenas foi projetada como forma de diversão, entretenimento e passatempo para o fandom de Pokémon.

  • Neo Aliança contra o Covid-19



              Olá, pessoal! Com a pandemia do Covid-19, praticamente toda a população global passou a adotar medidas para diminuir a disseminação do vírus, desde medidas de higiene até o isolamento social. Sabemos que todos gostamos de estar perto daqueles que amamos, seja em casa ou na rua, por isso, nós da Neo Aliança decidimos fazer aqui uma semana especial para tornar esse período mais fácil para nossos leitores. Serão postados capítulos todos os dias a partir o do dia de hoje! Esperamos que esses capítulos sejam uma contribuição, ao menos que pequena, para tornar a quarentena de vocês mais fácil.
             Ah! E também teremos a inauguração de uma nova região ao final dessa semana. O Wall retornou à Neo Aliança e agora será responsável para dar vida aos personagens dos jogos do Pokémon Colosseum, da região de Orre!

            Lembrem-se! Manter distância é um ato de empatia, mas a leitura ultrapassa qualquer distância!

             Confiram nosso cronograma:

    21/03 - Sábado:Neo Pokémon Kalos
    22/03 - Neo Pokémon Mystery Dungeon 
    23/03 - Neo Pokémon Galar
    24/03 - Neo Pokémon Johto
    25/03 - Neo Pokémon Kanto
    26/03 - Neo Pokémon Unova
    27/03 - Neo Pokémon Hoenn
    28/03 - Neo Pokémon Sinnoh
    29/03 - Neo Pokemon Orre (Inauguração!)


  • Copyright © - Nisekoi - All Right Reserved

    Neo Pokémon Galar Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan